Todas as imagens são enviadas para o servidor proprietário chamado EyerCloud ou podem ser enviadas via DICOM para prontuários compatíveis realizando o cadastro do servidor. Para isto, clique em “Opções”, “Sincronização”, “Servidores” e no ícone  para adicionar. 

 

Para ser direcionado ao EyerCloud, utilize navegadores Chorme ou Firefox.

 

 

Configuração comum entre os servidores

 

Para qualquer tipo de servidor, serão necessárias algumas informações:

 

1. Ação: Define o comportamento de ação do servidor:

a. Primário: Servidor base de comunicação (EyerCloud). Não pode ser removido, apenas desativado;
b. Espelhamento: Toda informação gerada pelo equipamento será sincronizada em todos os servidores de espelhamento, além do servidor primário;
c.
Contingência: Executado apenas quando o primário falhar;
d. Manual: Ficará disponível para envio de informações, porém não será executado, a menos que seja escolhido manualmente para envio de informações;
e. Desativado: Servidor ficará inativo;

2. Nome: Identificador do servidor, não precisa ser único.

3. Key: Gerado automaticamente, baseado no nome do servidor. Deverá ser único e necessita do formato constituído por três caracteres (de A à Z apenas maiúsculo) e três números (entre 0 e 9).

 

 

Configurando servidores DICOM

 

Para utilizar servidores DICOM, basta adicionar as informações dos servidores para armazenamento dos exames (Archive AE) ou as informações de servidores de worklist:

1. AE Title: Como a aplicação se identificará no sistema;
2. AET: Identificador do servidor;
3. IP: IP do servidor;
4. Port: Porta de acesso ao servidor;
5. Modality: Utilizado apenas no contexto de worklist, representa o tipo do arquivo DICOM.

 

Informações do arquivo DICOM

Todo exame realizado com o Eyer pode ser convertido seguindo o padrão DICOM, gerando um arquivo de extensão .dcm. Desta forma diversos campos do padrão serão preenchidos, estes campos são representados pelas TAGS abaixo:

  • PatientID → Construído a partir do documento mandatório da clínica com o prefixo definido no campo “Prefixo DICOM” na tela de sistemas do Eyer. Exemplo: Para uma clínica registrada com documento mandatório CNS, será gerado um arquivo DICOM com PatientID valendo “phelcom_cnsPaciente”;
  • PatientComments → Possui uma estrutura JSON com os dados de anamnese e dioptria do paciente.
    Exemplo:
    {“anamnesis”:{
    “hypertension”:true,
    ”smoker”:true,
    ”glaucoma”:true,
    ”cataract”:true
    },
    ”diopter”:{
    “right”:{
    “spherical”:”-3.25”,
    “cylindrical”:”-0.75”,
    “axis”: “90”},
    ”left”:{
    “spherical”:”-3.25”,
    “cylindrical”:”-0.75”,
    “axis”: “90”},
    ,
    ”email”:”contato@emailcom.br”
    }
  • PatientSex → Sempre no formato M (male), F (female) ou O (other);
  • PatientBirthDate → Data de nascimento do paciente (formato YYYYMMDD);
  • PupilDilated → Pupila dilatada “YES” ou “NO”;
  • ImageLaterality → Lateralidade do exame “R” (right) ou “L” (left);
  • Manufacturer → Valor fixo “Phelcom Technologies”;
  • ManufacturerModelName → Valor fixo “Eyer”;
  • DeviceSerialNumber → Número serial do dispositivo utilizado na realização do exame;
  • SoftwareVersions → Número da versão do software utilizado na realização do exame;
  • InstitutionName → Nome da clínica;
  • SeriesDescription → Tipo de exame (colorido, redfree, textura, estéreo ou panorâmica);
  • SeriesDate → Data de realização da captura (formato YYYYMMDD);
  • SeriesTime → Horário da realização da captura (formato HHmmss);
  • SeriesNumber → Número sequencial do exame;
  • Modality → Valor fixo “OP” (Ophthalmic Photography);
  • StudyID → Identificador do estudo (formato YYYYMMDDHHmmss);

 

 

 

Dúvidas? Entre em contato :D
Suporte ao cliente
suporte@phelcom.com

Clique no número abaixo e fale conosco
+55 (16) 99732-2040