Lançada em 2019 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a 11ª revisão da Classificação Internacional de Doenças (CID 11) começou a valer a partir de 1º de janeiro de 2022. O documento é a base para identificar tendências e estatísticas de saúde em todo o mundo e contém cerca de 55 mil códigos únicos para lesões, doenças e causas de morte. Ou seja, essencial para o trabalho de médicos em todo o mundo.

A tabela fornece uma linguagem comum que permite aos profissionais da área compartilhar informações de saúde em nível global de modo padronizado. A última atualização, a CID 10, ocorreu na década de 90 e já não engloba mais diversas doenças da atualidade.

Por isso, é fundamental acompanhar as novas diretrizes. Em seguida, confira quais foram as principais mudanças na CID 11.

 

Autismo

 

Agora, todos os transtornos inseridos no espectro de autismo estão reunidos em apenas um diagnóstico: Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) – código 6A02. Isso inclui autismo infantil, transtorno com hipercinesia, Síndrome de Asperger, Síndrome de Rett e transtorno desintegrativo da infância.

De acordo com a OMS, as subdivisões passaram a ser apenas relacionadas a prejuízos na linguagem funcional e deficiência intelectual. Dessa forma, a intenção é facilitar o diagnóstico e simplificar a codificação para acesso a serviços de saúde.

 

Transexualidade

 

Até 2021, a transexualidade era enquadrada como doença mental, sendo considerada distúrbio de identidade de gênero. Com a CID 11, foi recategorizada como incongruência de gênero e realocada na categoria de saúde sexual.

A OMS explica que cientistas e médicos comprovaram que a transexualidade não é um distúrbio mental. Devido a isso, trazia mais estigmatização aos que se identificavam como transgêneros.

Com a alteração, esse grupo garante acesso aos procedimentos cirúrgicos e terapêuticos assegurados pelo SUS.

 

Síndrome de Burnout

 

A Síndrome de Burnout é um exemplo das doenças da atualidade. Agora, a doença integra problemas de saúde gerados ou associados ao emprego e desemprego. Isso porque, segundo a OMS, é uma síndrome gerada devido ao estresse crônico no local de trabalho e que não foi tratada corretamente.

Dentre seus principais sintomas, estão a sensação de esgotamento mental e/ou físico, sentimentos negativos relacionados ao trabalho e a redução da eficiência profissional.

Vale ressaltar que a doença está relacionada apenas ao trabalho, não sendo aplicado às outras partes da vida.

 

Gaming disorder

 

Sem dúvida, uma das principais novidades da CID 11 é a criação do Game Disorder, que significa “distúrbio em jogos eletrônicos”. Isto é, o uso abusivo pode causar vício e passa a ser entendido como doença.

A patologia é definida como “padrão de comportamento persistente ou recorrente” e é tão grave que pode comprometer as áreas de funcionamento pessoal e social.

Dentre os principais sintomas, estão prioridade aos jogos perante outras áreas da vida, perda de controle sobre aspectos relacionados aos jogos, como duração e frequência das sessões, e a continuidade do vínculo com jogos mesmo com consequências negativas como o impacto na vida profissional, educacional, social e familiar.

 

Resistência antimicrobiana

 

Na CID 11, a OMS realinhou os códigos relacionados à resistência antimicrobiana porque diversos micro-organismos estão cada vez mais resistentes às terapias, não reagindo mais às drogas indicadas.

Confira todas as atualizações da CID 11 aqui. Para quem trabalha com prontuários eletrônicos na nuvem, diversos sistemas já foram atualizados com o novo protocolo. Vale a pena conferir.

 

Revisado por Paulo Schor, médico oftalmologista, professor livre docente e diretor de inovação da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e colaborador da Faculdade de Medicina do Hospital Albert Einstein.

 

Fique por dentro das principais novidades em saúde. Acompanhe o blog da Phelcom.

 

Inscreva-se