O WhatsApp é um dos aplicativos mais utilizados pelos brasileiros. Por aqui, são mais de 120 milhões de usuários. Além do uso pessoal, a rede social de mensagens instantâneas também tornou-se uma ferramenta de trabalho. Isso porque agiliza a comunicação entre os envolvidos, de forma fácil e prática.

Inclusive, muitos consultórios e clínicas médicas também implementaram o app como meio de relacionamento com os pacientes. Nele, é possível enviar felicitações pelo aniversário e confirmar a consulta, por exemplo.

De fato, o WhatsApp para médicos pode ser uma ferramenta bastante útil no consultório. Portanto, confira 6 dicas de como usar a tecnologia da melhor maneira possível e dentro das normas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

 

WhatsApp para médicos: é permitido?

 

Antes de tudo, sim! O WhatsApp para médicos é permitido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que emitiu um parecer sobre o uso profissional de aplicativos de mensagens instantâneas, em 2017. Entretanto, de lá para cá, o WhatsApp passou a ser cada vez mais atacado por hackers, que conseguem clonar, acessar os contatos e recuperar todas as mensagens enviadas.

Agora, a nova LGPD em vigor enquadra as informações de saúde como dados pessoais sensíveis. Ou seja, se vazados ou compartilhados de modo irregular, podem ser utilizados de forma nociva e discriminatória contra o paciente. E a multa neste caso é altíssima, fora os danos na reputação do médico.

Neste sentido, é essencial limitar o tipo de informação enviada pela ferramenta. Por exemplo, evite trocar documentos, como exames e receitas, ou discutir informações sigilosas do paciente com outro médico. Para isso, invista em softwares médicos ou sistemas de telemedicina que garantam a privacidade dos dados.

A seguir, veja as dicas de como usar o WhatsApp para médicos de forma segura.

 

WhatsApp para médicos

 

1.      Tenha um número apenas para o consultório

 

Ter um aparelho de celular e um número exclusivo para o consultório é fundamental para não misturar o pessoal com o profissional. Nele, você pode limitar o horário de atendimento e evitar ser exposto a mensagens fora do horário comercial, como a noite e nos finais de semana.

 

2.      Opte pelo WhatsApp Business

 

Na hora de instalar o aplicativo, escolha a opção WhatsApp Business. Voltado para uso profissional, essa versão oferece vários benefícios comerciais, como programação de mensagem automática e preenchimento de endereço e horário de funcionamento no perfil.

Além disso, há relatórios estatísticos, como o número de mensagens enviadas, entregues, recebidas e lidas. Assim, é possível analisar o desempenho da comunicação com os pacientes e reajustar a estratégia.

Há também o WhatsApp Business API, uma espécie de “plus” do app. Ele torna a comunicação ainda mais automatizada, personalizada e escalável. De fato, é uma boa opção para clínicas maiores. Mas, para utilizá-lo, é preciso criar um chatbot e integrá-lo ao aplicativo.

 

3.      Confirme com o paciente se deseja receber mensagens pelo WhatsApp

 

Em primeiro lugar, após a primeira consulta, pergunte ao paciente se ele aceita receber mensagens do seu consultório no WhatsApp. Isso garante que não ocorra atrito na comunicação logo no início da relação.

 

4.      Faça chamadas de vídeos

 

Um dos recursos interessantes do WhatsApp para médicos é a possibilidade de fazer videochamadas com os pacientes. Você pode utilizar essa funcionalidade para tirar alguma dúvida rápida, por exemplo.

Isso pode ser feito pelo celular ou por meio do download do aplicativo para desktop (atenção: não é pelo WhatsApp Web. Este é outro recurso). Se optar pelo último, você só precisa ter uma webcam.

As chamadas por vídeo ajudam na aproximação com o paciente, mas vale ressaltar que para teleconsultas, o mais indicado é recorrer aos sistemas de telemedicina. Isso porque são mais seguro, permitem armazenar a consulta e tem mais dispositivos, como integração com o prontuário eletrônico e de prescrições de receitas e atestados digitais.

 

WhatsApp para médicos

Foto: Freepik

 

5.      Envie lembrete da consulta

 

Muitos consultórios e clínicas sofrem com a falta de pacientes nos atendimentos agendados. Parte deles alegam ter esquecido da consulta ou que surgiu outro compromisso. Então, vale a pena criar uma estratégia para garantir a vinda do paciente ou o cancelamento com antecedência. Dessa forma, dá tempo de preencher o horário com outro paciente e, assim, não perder atendimento.

A recepção pode, por exemplo, enviar um lembrete uma semana antes da consulta. Depois, no dia anterior, confirmar a presença.

Para agilizar esse processo, é possível automatizar o envio de mensagens por meio de sistemas de telemedicina. Se já possui um, converse com o suporte para ver a possibilidade de agregar também esse serviço. Sem dúvida, vale a pena para negócios maiores ou para usar o tempo das secretárias em outras tarefas importantes.

 

6.      Peça feedback

 

Quer saber a opinião do paciente sobre a consulta e o pós-atendimento, se ele voltaria e/ou indicaria o seu trabalho? Então, pergunte pelo WhatsApp! Sem dúvida, a pesquisa de satisfação é uma das táticas mais eficientes de avaliação. Além de conhecer a experiência dele no seu consultório, ajuda a reajustar a jornada do paciente sempre que possível e a aumentar a confiança e credibilidade do seu negócio.

Você pode enviar o link com as questões pelo WhatsApp. É possível automatizar esse processo por meio de funcionalidades em softwares de gestão. Vale ressaltar que a pesquisa precisa ser breve. Isto é, selecione perguntas diretas e essenciais para a análise e a melhoria do seu negócio. Se possível, sempre aplique a pesquisa de satisfação com regularidade.

 

7.      Mantenha um relacionamento com envio de mensagens

 

Que tal, no dia seguinte da consulta, enviar um whats ao paciente dizendo que está feliz em atendê-lo e à disposição? Outra possibilidade é, quando o cliente completar mais um ano como seu paciente, agradecer a confiança em seu trabalho e a parceria. Vale também lembrá-lo que está na hora da consulta de rotina.

Aproveite também as datas especiais, como aniversário e festas de final de ano, para desejar parabéns e boas festas, respectivamente.

Se você possui um blog em seu site, também pode enviar links com conteúdos relevantes. Por exemplo, você pode falar sobre novidades na área de saúde que o interessem, dar dicas de prevenção e anunciar inovações do consultório, dentre outros.

Com isso, há a demonstração de atenção e cuidado contínuo com seus pacientes. Desse jeito, eles perceberão a preocupação com o bem-estar deles, o que pode refletir diretamente na evolução do tratamento.

Mas, para ter todos esses dados em mãos, é preciso investir em softwares de automação. Além de programar os envios e cada tipo de mensagem, também garantem a segurança das informações.

 

Revisado por Paulo Schor, médico oftalmologista, professor livre docente e diretor de inovação da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e colaborador da Faculdade de Medicina do Hospital Albert Einstein.

 

Acompanhe o blog da Phelcom e fique por dentro das principais novidades em redes sociais para médicos!

 

Inscreva-se